Armas e munições da Delegacia de Cedral são furtadas após arrombamento

Nem mesmo as delegacias escapam da violência que atinge a população maranhense. A delegacia da Polícia Civil em Cedral (MA) foi furtada na madrugada de segunda-feira (11). Os ladrões levaram armas e munições.

Atualmente, a unidade conta com dois policiais civis, mas um deles está de férias. Como a delegacia funciona apenas em sistema de expediente, de segunda à sexta, no fim de semana, período em que o furto foi executado, não havia nenhum policial civil no prédio. O policial percebeu o crime quando chegou à delegacia e se deparou com os trincos das portas danificados.

Por dentro, o cenário era de bagunça, com armário revirado e alguns documentos espalhados pelo chão. O caso foi comunicado às autoridades de segurança para averiguação, mas ainda nenhum procedimento foi realizado. Enquanto a perícia não chega ao local, os materiais continuam do jeito que os criminosos deixaram: dispersos pelo chão. Fazer a guarda dos documentos ficou inviável. A segurança da unidade está comprometida por conta da ausência de grades e portões.

Foto: Divulgação do TJ-MA em 2015

No ano de 2015, a juíza Michelle Amorim Sancho Souza, titular de Cedral, determinou a interdição da Delegacia de Polícia Civil de Cedral, condenando o Estado do Maranhão a promover a reforma com base nos padrões exigidos pela Lei de Execuções Penais. O Estado foi condenado, também, a lotar um delegado na delegacia. Desde 2012 que perdura a ação no sentido de que o Estado adeque a delegacia de Cedral.

Foto: Dezembro de 2017

Mas como você pode constatar na foto acima, nada mudou de cinco anos pra cá. A estrutura predial permanece a mesma. Nenhuma reforma pontual, visando pequenos reparos, pintura, manutenção das instalações elétricas e hidráulicas, foi executada pelo Estado do Maranhão.

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (Sinpol/MA), Elton Neves, a situação é resultado da falta de uma política de estado que valoriza a segurança pública. “A situação é preocupante. Em julho deste ano, constatamos várias unidades policiais com estruturas precárias, combalidas e comprometidas. Sem investimentos, como a polícia vai conseguir manter a segurança de suas próprias instalações? Se estão furtando um órgão de representatividade da polícia judiciária, imagina a sociedade como um todo, que fica abandonada e desprotegida nas ruas, nas residências e nas suas empresas”, lamentou.

Até o fechamento desta matéria, ninguém havia sido preso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *