Em editorial, jornal diz que Polícia está sucateada e que é vergonha nacional

 

Editorial – OEstadoMaranhão

Polícia sucateada e vergonha nacional

O sucateamento da estrutura da Polícia Civil reflete o descaso do governo comunista com a segurança pública no Maranhão. Enquanto aparece, quase diariamente, entregando viaturas a dezenas de municípios onde não há sequer delegacia, o governador Flávio Dino mostra-se incapaz de promover uma gestão que dê ao Estado plenas condições de combater o crime e proteger os cidadãos. Pelo contrário, deixa o território maranhense vulnerável, à mercê de todo tipo de bandido, ao mesmo tempo em que despreza a categoria policial, que clama por melhores condições de trabalho.

Como de costume e para desgosto do povo, o governo de Flávio Dino deu mais uma clara demonstração de incompetência e envergonhou os maranhenses. A repercussão nacional da denúncia do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) sobre o abandono de delegacias no interior é mais um episódio a manchar a imagem do estado nestes tempos de hegemonia comunista.

Ao tornarem-se alvos de tão grave acusação, os palacianos dão mais um exemplo de inaptidão administrativa. E ao tentarem se esquivar da culpa, atribuindo a responsabilidade ao governo passado, como fez o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, e outros gestores da área a ele subordinados, os governistas provaram quanto podem ser cínicos ao se sentirem acuados.

Em meio a tantas falhas, o destaque mais negativo coube à pobre cidade de Peritoró, vinculada à regional de Codó, onde delegado e demais policiais civis foram despejados pelo dono do prédio onde funcionava a delegacia local. O motivo do desalojamento não poderia ter sido mais constrangedor: falta de pagamento do aluguel. O caso ganhou contornos ainda mais absurdos porque Flávio Dino não deu continuidade à construção de um prédio próprio para abrigar a delegacia do município, iniciada há quatro anos.

Na edição de hoje, O Estado mostra as instalações precárias da polícia em mais um município de Timbiras, também na regional de Codó.

Recepção da Delegacia de Timbiras

O prédio, também alugado e passível de despejo por inadimplência, não oferece as mínimas condições de atendimento ao público e para os policiais exercerem seu trabalho. Na área externa, parte do muro desabou.

Telhado tomado por cupim

 

Inquéritos jogados pelos cômodos

 

Detalhe para a espingarda encostada na parede

 

Banheiro em péssimas condições de uso

 

Celas insalubres

Parte do telhado está tomada por cupim. O banheiro está em péssimas condições de uso e os xadrezes não têm condições de abrigar presos. Na parte interna, a desordem também salta aos olhos. Os cômodos são mal iluminados e mal ventilados, há papéis espalhados sobre mesas e até uma espingarda encostada em uma parede. Não há nem mesmo instalações adequadas para guardar as motocicletas apreendidas com frequência por irregularidades diversas.

Em meio à insegurança pública que decorre do caos administrativo, o Maranhão assiste, estarrecido, aos seus governantes protagonizando cenas patéticas de entrega de chaves de viaturas onde a polícia opera precariamente. E, como um golpe de misericórdia, o estado volta a virar vergonha nacional ao ter sua cruel realidade exposta em telejornais da emissora de maior audiência no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *